A Estranha - grafite em pó e acrílica/madeira (120 x 90)

No ano 2000 fiz a mais espetacular, desejada e feliz escolha da minha vida:
- a de nunca mais sair de dentro do mundo que criei para mim...
até que a morte me separe dos “Olhares da minha alma” e dos amores que aqui eu deixar.
Por livres e espontâneos desejos próprios, vivo sem sair à rua, salvo em ocasiões imperativas:

- porque adormeço e desperto numa cama de frente para o mar... mar que pintei na parede do meu quarto;
- porque adormeço numa rede que baila a cada pôr do sol e nas madrugadas vadias desperto iluminada pelo luar;
- porque no mundo que criei para mim... nas minhas paredes... os dias são ensolarados e as noites enluaradas;
- porque não estou brincando de viver e me permito vivenciar intensamente as minhas escolhas;
- porque cada pessoa é única, tem direito ao seu silêncio e tem desejos próprios;
- porque quando a noite vem e o meu olhar se alonga para além das janelas escancaradas do meu mundo, sinto
intensa dor, muda, sem corpo, só comparada à que sinto ao ver a cidade linda, ricamente enfeitada para as festas
de fim de ano e meus olhos não me obedecem, teimam e, antes que o meu olhar alcance o brilho dos fogos de artifício no céu e o colorido no alto dos prédios, dão rasantes pelas sarjetas, pela miséria das calçadas...
- porque
Cansei de morrer, tantas vezes morri...
antes do abraço, a um passo do encontro marcado, morri.
atravessei luas, cruzei sóis sem chegar a lugar algum, cansei.
cansei... de morrer, cansei!
Reles destino, omisso, deitou-me em mar de areia.
Anunciada solidão... estrelas marinhas, no olhar, bordei
vestindo silêncios, revestida de sonhos, secreta, voei.
ninguém me ouviu cantar... na sombra de um verso amanhecido, resplandeci
à beira de um beijo morto, sonâmbula, amanheci poesia.
Um sorriso latente a madrugada incendeia...
Morremos nós, eternamente.
-porque sou a outra... a bendita gêmea, maldita.
-porque...
Meu mundo...minha arte... minha rede... e o meu silêncio

Não te vás!

Saia escarlate ao chão... jaz a luz à cabeceira
amantes vontades rasgando véus
silhuetas famintas, inflamadas carnes ao léu
mãos que não se calam... o vinho é servido.

Pairam perfumes inundando o leito, gota a gota
regando feiticeiras bocas... rubra conspiração
desobrigadas taças... sorvido molho.

Resgatada pele, rotas pernas abraçando a paixão
inútil fuga... empossados céus.
demasiado tarde... é morta, a solidão.

Fica assim... no meu ultimo olhar, a miragem
diluindo silêncios, estremecendo a rede.

Assim ficas tu! esculpido em secreto poema
a dançar dentro de mim... Oh! túmido delírio
Não te vás!
MiriamLiUm fio de ouro... outro de cinza - afresco grafite em pó.
Parceria com o Poeta Fernando Oliveira - Pictural - Poesia - Pictural
1998 - Afresco grafite em pó(140 x 90)
Ah! Como eu te amei...
Sonhados rios, lagos, oceanos, oásis cruzei
nos céus líquidos, dormentes desejos sangrei
versos calados para ti cantei... cantei... cantei...
soprei segredos, despertando pássaros, querubins

Ah! Como eu te amei...

Nua rua nua
passos incertos, noites sem lua
Prateada aliança
ao sabor dos desejos, no campasso dos ventos
no teu abraço dancei... dancei... dancei...

Sobraram beijos
esparramadas pétalas na frágil calçada.

Ah! Como eu te amei...

A noite sempre se entrega ao astro rei
cai no dia, derretendo a magia.

Silenciei

Papoulas bailarinas ora desmaiadas
saudade sepultada viva na boêmia poesia.

Eu te amei... amei... amei... (MiriamLi)
aMAR - 1997 - afresco grafite em pó(95x27)
Desenvolvi técnicas de desenho, pintura e afresco usando grafite-pó.

Não tenho formação acadêmica ou cursos em artes, não conheço a história da
arte e nunca entrei numa galeria ou museu.

A escola de arte me acrescentaria muito, mas não me capacitaria...

A falta de conhecimento é justamente o que me torna absolutamente livre para
criar OS OLHARES DA MINHA ALMA.

A minha arte.. é fruto do meu silêncio e da sabedoria primeira inerente ao ser
humano, é desobediente a regras, isenta de influências e dispensa modelos.

É baseada, na elementar observação do efeito da luz e da sombra:
Fundamentada na análise detalhada das manchas nas paredes,produzidas pela
umidade e dos evidentes veios e nuances das pedras, madeiras, da lua e de todas
as superfícies (inclusive as líquidas):

A minha arte é tirada de um todo que já existe..
enuncia a minha verdade, denunciando a mistificação atribuída à arte inusitada,
inculta e, protesta contra o fanatismo doutrinário...

É legitimada pela lucidez do meu olhar despretensioso,atento para a inesgotável
fonte de possibilidades e de inspiração criativa de imagens, contidas em nuvens,
negativos de fotografias e películas de RX:

É resultado lógico de consciente e solitária investigação, sobre a capacidade de
percepção cerebral e ao estímulo da memória visual, facultando-me a peculiar
habilidade de retratar, com precisão fotográfica, as imagens, rostos, olhares e
paisagens que registro em sonhos, durante o sono.

Domino as técnicas de desenho e pintura que desenvolvi:
Em defesa própria,
indiferente a pensamentos alheios, supostas teorias e julgamentos precipitados...
não peço explicações sobre a MINHA arte, eu as tenho.

Assumo e assino OS OLHARES DA MINHA ALMA.

Não tenho religião... é a mola propulsora da discórdia entre a humanidade. (MiriamLi)
Um outro olhar
grafite pó/madeira(100x70)
Desenho
O homem visita o homem
acrílica/colcha de tecido matelace(100x70)
Pintura


Obras premiadas
XIII Salão Internacional de Artes Plásticas do Proyecto Cultural Sur-Brasil/2004




Parceria com o poeta Fernando Oliveira - Pictural - Poesia - Pictural "Bilingue"
Os teus olhares - afresco grafite pó (130 x 90)



Os teus olhares

Os teus olhares, se bem que plurais, são singulares
Visonhas, vindas das reminiscências de Guernica
A de-multiplicação esparramada de, Picasso
Pela multiplicação aparamentada, adensa de, Lima.

Como o poeta, rimas ou desramas, empilhas rostos
Como na poesia, estes formam o painel da centelha
A tua arte, alcança a minha, na imagem que é freira
A minha, sobra da tua, ou orna o quadro que não diz

Os dois, somos poetas e pintores, um lê, o outro olha.

Fernando Oliveira

Poesia dedicada a mim pelo Poeta Fernando Oliveira
Parceria - Pictural-Poesia-Pictural "Bilingue"
Fernando Oliveira - Poetema
Passos de cata - afresco(100x60)



Trilogia e metamorfose - 1996 - afresco grafite pó(100x160)


Parceria com o Poeta Fernando Oliveira - Pictural - Poesia - Pictural "Bilingue"

Duas torturas
grafite-pó/euicatex
O silêncio dos desejos grafite-pó,acríl/madeira(70x50)
Um olho facto..o outro abstracto acríl/lixa(50x40)

Parceria com o Poeta Fernando Oliveira - Pictural - Poesia - Pictural "Bilingue"

Tarde demais...
acrílica/grafite pó/madeira(98x70)
A Fugitiva-acrílica/carpete
Obra por mim destruída.
Inspirada em sonhos durante o sono.

.
Destruir uma obra é autoflagelo da alma, sentimentos. Também é uma "provocação". Faço.

Ele - grafite/pó/madeira
..águas do rio Jordão
Indiano.. dos sonhos meus




Obras por mim destruídas... Inspiradas em sonhos, durante o sono.
Sempre sonhei com estes rostos, olhares....
parecem me chamar para o paraíso dos sonhos... e eu vou!... rsss...

Continue Lendo...

Lembro dos meus sonhos e "sei" quando estou sonhando...
os memorizo na íntegra, e, assim, retrato em telas e afrescos,
os rostos de pessoas que não conheço... só as vi em sonhos.

Cá entre nós...
Existe alguém que nunca sonhou com pessoas que não conhece?
Só rindo mesmo... rssssssss

Tarde demais...
grafite pó/ acríl/eucatex(90x60)
grafite pó/papel


Ficar no pensamento

imaginações entrelaçadas
que se apetecem em mim

se não olho, penso e, vejo
um pensamento no meu
no meu pensamento és tu

se não penso, vejo e, penso
que és para o meu intento
quem entrou para lá ficar.

Fernando Oliveira


Dois silêncios... íntimas noites nuas
insinuante tapete mágico... deitados

ameaças de morte por beijos... o teu
poema-mor, calado, em dança dentro de mim
velado convite, diamante anelado... o meu

teu último mundo, sentença de vida em vida
confesso anel de olhares suspensos
fadado encontro, rendição... a sós
descobrem-se vivos...o meu e o teu.
Miriam lima/Braga





Corpo de delito
Parceria com o Poeta
Fernando Oliveira
Pictural-Poesia-Pictural




Desespero
Châtiez et laissez-moi choir
Qui suis-je ?!…


Parceria com o Poeta Fernando Oliveira - Pictural - Poesia - Pictural "Bilingue"
A folha do poeta
acrílica/papel camurça
Transparência
acrílica/papel camurça
Alquebro da sombra
afresco grafite pó


Parceria com o Poeta Fernando Oliveira - Pictural - Poesia - Pictural "Bilingue"
J’attends un regard
2000-grafite em pó/eucatex(160x130)
Visitei as coxas de júpiter
1999-crílica,esmalte/madeira(35x55)

.
Parceria com o Poeta Fernando Oliveira - Pictural-Poesia-Pictural"Bilingue"
1997 - acrílica/carpete
autor: Lauro Rafael (filho)
C'est la vie.. afrsco grafite pó
1997 - grafite em pó/eucatex
autoras: Miriam e Raquel(filha)
Nós.. (e.. os outros! rsss) 1999 - acrílica/eucatex (60x90)
Autores: Miriam, Raquel e Lauro Rafael (filhos)
Pura e simplesmente, uma técnica passível de aprendizado!
acrílica/carpete(85x80)
afresco grafite pó(13x7)
O rosto na arte-afresco grafite em pó
Parceria com o poeta Fernando Oliveira - Pictural - Poesia - Pictural
Olhares que desviei... bocas que não beijei...
acrilica/eucatex(70x100)
grafite pó/papelão(40x30)
acrilica/carpete (100x115)
Os quatro judiciosos
afresco grafite em pó
Pictural-Poesia-Pictural
Engenha-me - cola durepoxi/eucatex
Engenha-me

sabes, que ontem não vivi e, que amanhã não sou
estou hoje aqui, colhe o que quiseres de mim
sou ainda, mais raro e sensível, que a crisálida
tanto que me recrias, fico contigo, não vou
se o não fizeres, ficarei simplesmente assim
com o ontem e o amanhã, hoje, estátua esquálida.
Fernando Oliveira
_____________________
Ontem, hoje, amanhã, sempre
vencida pelos desejos, sou
no rastro do silêncio, estou
Ao sabor de desejos, prometi ao destino
na aurora de um novo hoje, amanhã
teu sonho eleito, de audaz contido, animar, vem
tráz teu perfume, tua voz, tuas mãos
estou aqui, sem segundo, vestida de espera.
Miriam Lima/Braga

acrilica/papel camurça (60x40)
acrilica/eucatex (90x60)
A fuga da sereia
grafite pó/eucatex(90x60)
Parceria com Fernando Oliveira
Pictural-Poesia-Pictural
Double -acrílica/eucatex
Parceria com o Poeta Fernando Oliveira
Pictural-Poesia-Pictural
Rimas e encruzilhadas
Camuflagem pictural

Parceria com o Poeta Fernando Oliveira - Pictural-Poesia-Pictural
Do pó...grafite... sou a pedra, Diamante.